Acesse sua conta ou cadastre-se.

Associação Brasileira de Oficiais da Reserva do Exército

Facebook

Quem somos

 

Quem somos

A História da ABORE - Associação Brasileira de Oficiais da Reserva do Exército.

Os Primórdios.

Um grupo de alunos do curso de Infantaria, da turma de 1952, do Curso do CPOR/SP – Centro de Preparação de Oficiais da Reserva de São Paulo, unidos por laços de forte amizade e camaradagem, criados nas dificuldades encontradas nas várias etapas do Serviço Militar, idealizaram a criação de uma Associação que reunisse os Aspirantes e Oficiais da Reserva do Exército.

Sob o incentivo do Instrutor Chefe do Curso de Infantaria, Capitão José Thomaz e dos oficiais responsáveis pela formação dos alunos, Tenente Sigaud, Tenente Sérgio Gouveia e Tenente Olintho Oyama de Almeida, os Oficiais da turma de 1952 levaram adiante a idéia e passaram a se reunir numa dependência em cima da garagem da residência do colega Fernando Montenegro, na Rua Antônio Carlos, próximo à esquina da Rua Augusta, na Capital de São Paulo.

Dos diálogos e das discussões criaram uma entidade para congregar os oficiais da reserva, com personalidade jurídica de direito privado, com diretoria, conselhos e departamentos que representassem a classe perante todos os órgãos constituídos e, em especial, perante as Forças Armadas.

A preocupação primeira foi reunir o maior número de Aspirantes e Oficiais da Reserva, os denominados R/2, nomeando-se uma comissão provisória com a responsabilidade de elaborar o anteprojeto do Estatuto, com objetivos que pudessem atender aos anseios da classe.

A comissão foi formada pelos amigos, então Asp Ofs da turma de Infataria de 1952, tendo como presidente Luiz Carlos do Canto Pereira, como tesoureiro Luiz Chebl Massud e como membros Anadyr Pinto Adorno, Fernando Montenegro e Antônio da Costa Neves Neto.

Reinava um ambiente sadio de entusiasmo e de bastante compreensão, um clima festivo de comemorações do IV Centenário da Cidade de São Paulo, com muitos eventos históricos, cívicos e desportivos.

Ao Aspirante Fernando Montenegro foi atribuída a incumbência maior de redigir a peça estatutária, ouvindo as sugestões de seus colegas.

Nesse início dos trabalhos, os jovens Aspirantes e Tenentes tiveram a colaboração da Associação dos Ex-Combatentes, Secção de São Paulo, assim como da Zona Militar Centro.

Como data para marcar a fundação da Associação foi escolhido o Dia do Soldado, 25 de agosto de 1954, data do nascimento de Luiz Alves de Lima e Silva, o Duque de Caxias.

A Ata de Fundação da Associação.

Em 12 de agosto de 1954, à noite, um grupo de Oficiais R/2 oriundos do CPOR/SP, formados no ano de 1952, se reuniu num jantar de confraternização no restaurante Molinaro, na Rua Rego Freitas, no centro da Capital de São Paulo. Nessa reunião foi lançada a pedra angular da ABORE, com o objetivo de congregar os Oficiais R/2 de todas as Armas e Serviços do Exército Brasileiro, numa Associação Nacional de cunho eminentemente social e apartidário. Durante o jantar falaram vários oradores e, por unanimidade, estabeleceram a data simbólica de 25 de agosto de 1954 para a fundação da ABORE, formando-se uma comissão de voluntários para estudar e preparar o anteprojeto do estatuto, que em curto prazo foi realizado.

A primeira Assembléia Geral e a Aprovação dos Estatutos.

O estatuto da primeira entidade dos R/2, no Brasil, foi aprovado na Assembléia Geral de 27 de novembro de 1954, instalada no salão nobre da sede da Associação Comercial de São Paulo, na Rua Boa Vista, n.º 51, que elegeu a primeira diretoria da ABORE, com a presença dos seguintes Aspirantes a Oficiais e Oficiais R/2:

1.      Antônio Nakashima – Asp Of

2.      Paulo M. de Quadros – 2.º Tenente

3.      Alfredo Nicolau Abdo – 2.º Tenente

4.      Bráulio Alvarez – 2.º Tenente

5.      Amador da Cunha Bueno Netto – 2.º Tenente

6.      Denis Carvalho Ferraz –Asp Of

7.      Domingos de Paula Neto – 2.º Tenente

8.      Paulo Cardoso Xavier – 2.º Tenente

9.      Jorge Antônio Miguel Yunes – Asp Of

10.  Fernando Montenegro – 2.º Tenente

11.  Vicente Musumeci – 1.º Tenente

12.  Antônio Luiz Valente do Couto – Asp Of

13.  Jerônimo Ricardo de Matos – 2.º Tenente

14.  Calil Daher – Asp Of

15.  Wilson Bussamra – Asp Of

16.  Mário Belbusti Filho – 2.º Tenente

17.  Ayrton Luiz Sichero – 2.º Tenente

18.  Newton de Oliveira Quirino – 1.º Tenente

19.  Emanuel Wilton F. Pereira – 2.º Tenente

20.  Makoto Minematsu – 2.º Tenente

21.  Adalberto José Wikbold – Asp Of

22.  Amadeu Dalia Júnior – Asp Of

23.  Cláudio Bueno Costa – Asp Of

24.  Demócrito Cavalcante de Arruda – Capitão

25.  Nicolau Cury – Asp Of

26.  Julcir Meirelles Reis Penna – Asp Of

27.  José Alberto Ferreira – Asp Of

28.  Miguel de Marco Neto – 1.º Tenente

29.  Cícero B. Campos – Asp Of

30.  Manoel de Rocha Miranda Filho – Asp Of

31.  Aldo Fama – 2.º Tenente

32.  Walter Ferreira – 2.º Tenente

33.  Paulo Anawate – 2.º Tenente

34.  Luiz Carlos do Canto Pereira – Asp Of

35.  Luiz Chebl Massud – 2.º Tenente.

Para presidir os trabalhos da Assembléia Geral, por aclamação, foi escolhido o Asp Of Luiz Carlos do Campo Pereira, que declarou aberta a sessão e convidou o Asp Of Antônio Nakashima para secretariar os trabalhos e o 2º Tenente Fernando Montenegro para proceder a leitura do anteprojeto do Estatuto da Entidade, que tomou o nome de Associação Brasileira de Oficiais da Reserva do Exército - ABORE.

O Estatuto foi discutido capítulo por capítulo e aprovado com algumas emendas.

Do Estatuto.

No Título I que trata “Da Associação e Seus Fins”, no Capítulo I que diz “Da Denominação e Natureza da Associação”, consta hoje:

“Art. 1.º - Sob a denominação de “Associação Brasileira de Oficiais da Reserva do Exército - ABORE”, foi constituída a 25 de agosto de 1954, com sede e foro na cidade de São Paulo, uma associação civil, de âmbito nacional, composta dos Oficiais da Reserva (R/2) e dos declarados Aspirantes-a-Oficial (R/2) de todas as Armas, Serviços e Quadros do Exército Brasileiro, oriundos dos CPOR e NPOR e de outros cursos de formação de Oficiais da Reserva, sem fins econômicos.”

No Capítulo II que trata dos Fins, firmou-se como objetivos da Entidade uma associação representativa, cultural, assistencial e recreativa.

Um aspecto importante foi tratado no art. 3º que veda a participação da Associação em campanhas de interesse político-partidárias, eleitorais ou religiosas, sob quaisquer meios ou formas.

O Art. 57 do Estatuto atual revela a forte motivação para a criação da ABORE, quando relaciona como Patronos os Oficiais oriundos dos quadros dos CPOR e NPOR mortos nos campos de batalha da II Guerra Mundial, na Campanha da Itália, referindo-se aos:

1.      2.º Tenente R/2 Amaro Felicíssimo da Silveira;

2.      2.º Tenente R/2 Aluísio Farias;

3.      2.º Tenente R/2 Ari Rauen;

4.      2.º Tenente R/2 José Belfort Arantes Filho;

5.      2.º Tenente R/2 Manoel Barbosa da Silva;

6.      2.º Tenente R/2 Márcio Pinto;

7.      2.º Tenente R/2 Rui Lopes Ribeiro; e,

8.      Aspirante-a-Oficial R/2 José Jerônimo de Mesquita, depois Tenente “post mortem”, a quem foi dedicado o nome da turma dos formandos de 2002, dos CPOR e NPOR de todo o Brasil.

Sem qualquer sombra de dúvida, a participação da Força Expedicionária Brasileira na 2ª Grande Guerra Mundial reafirmou os princípios de liberdade e democracia do povo brasileiro e, logo a seguir, a queda do regime político ditatorial em 29 de outubro de 1945, voltando o país à normalidade democrática, forma inspirações para a criação da Associação.

O Estatuto foi levado a registro no 1º Registro de Títulos e Documentos e Registro Civil de Pessoas Jurídicas da Capital de São Paulo, em 29 de agosto de 1955, na época localizado na Rua Roberto Simonsen nº 106, em 21 (vinte uma) laudas.

A Primeira Diretoria Eleita.

A primeira diretoria eleita na Assembléia Geral, para o biênio 1955/56, ficou assim constituída:

Presidente: Luiz Carlos do Canto Pereira, sócio nº 01;

Vice-Presidente: Fernando Montenegro, sócio nº 02;

1º Secretário: Antônio Nakashima, sócio nº 03;

2º Secretário: Luiz Chebl Massud, sócio nº 04;

1º Tesoureiro: Walter Ferreira, sócio nº 05;

2º Tesoureiro: Alfredo Nicolau Abdo, sócio nº 06;

Orador: Cícero Balbi Campos, sócio nº 07;

Bibliotecário: José Alberto Ferreira, sócio nº 08;

Diretor Social: Antônio da Costa Neves Netto, sócio nº 09;

Diretor Esportivo: Aldo Maria Ângelo Antônio Fama, sócio nº 10; e

Diretor de Propaganda: Antônio Luiz Valente do Couto, sócio nº 11.

A primeira reunião oficial da Diretoria da ABORE foi realizada em 29 de dezembro de 1954, na sede provisória na Rua Conselheiro Crispiniano nº 344, 3º andar, conjunto 304, no edifício do então Cine Marrocos, ao lado do quartel do Comando do II Exército. Consta do jornal “A Espada”, de agosto de 1956, Ano 01, nº 01, que nesse local funcionava o escritório do diretor 1º Secretário Antônio Nakashima.

Nesses anos a ABORE conseguiu inúmeras realizações, sendo honrada anualmente com a distinção de oferecer ao aluno nº 1, primeiro colocado de todos os cursos do CPOR/SP, a espada de oficial em sua formatura, e pode agraciar inúmeras personalidades civis e militares com a Medalha de Mérito Marechal Osório, instituída no âmbito da Associação.

Desde a criação, com o empenho de todos, retratado nas atas de reuniões de Diretoria e dos Conselhos que se seguiram, e referendadas as ações nas Assembléias de Associados, a ABORE consolidou-se nessas décadas com a percussora das entidades de oficiais R/2, dando exemplo que foi seguido em outros Estados da Federação e confirmado com a criação do CNOR – Conselho Nacional de Oficiais da Reserva, que congrega as entidades regionais, fazendo voz forte as lições aprendidas pelos oficiais R/2 junto às Forças Armadas e toda a Sociedade Brasileira.

Os ideais de Justiça, Camaradagem, Disciplina e Hierarquia são reafirmados continuamente pela ABORE, que procura, assim, servir cada vez mais e sempre, ao Exército Brasileiro e ao Brasil.